Seja bem vindo ao Erin Richards Brasil! Sua principal fonte de informações sobre a talentosa atriz galesa Erin Richards.

Erin Richards concede entrevista à Vulkan Magazine.

Recentemente, a atriz Erin Richards concedeu uma entrevista exclusiva à revista canadense Vulkan Magazine e também realizou um ensaio fotográfico dirigido pelo fotógrafo Kale Friesen nos estúdios Fade no Brooklyn, cidade de Nova York.

Confira a entrevista traduzida abaixo:

A atriz galesa Erin Richards é conhecida por seriados como Breaking In e Misfits, mas talvez ela seja mais conhecida por seu papel como Barbara Kean em Gotham. A VULKAN contatou Erin para discutir sobre a série, seus esforços de caridade e seus próximos projetos.

Tendo interpretado Barbara Kean agora por alguns anos, o que é uma coisa que te surpreende sobre seu personagem e te mantém intrigada?

Seu constante desenvolvimento como pessoa. Ela deixou de ser a noiva de Jim Gordon na 1ª temporada para comandar o submundo criminoso na 4ª temporada. Ser capaz de explorar tantas possibilidades em um show é incrivelmente gratificante e mantém o trabalho fresco para mim.

Como você acha que você lidaria com as tensões e pressões da vida que Barbara passou?

Algumas partes (como ela assassinando seus pais), obviamente, eu não lidaria com isso, mas sua recente ascensão como uma mulher de negócios em Gotham me agrada. Sempre gostei de me considerar uma empresária. Eu tinha um negócio de pirulito na escola quando eu tinha 11 anos onde eu compraria pacotes de 20 pirulitos por duas libras e depois os vendia por £0,50 cada, recebendo 8 libras por saco. O negócio funcionou bem, mas finalmente foi derrubado pelos pirulitos verdes. Ninguém gostava dos pirulitos verdes. Maldito seja aqueles pirulitos verdes.

Qual coisa Barbara faria que você nunca sonharia em fazer?

Matar alguém.

Qual foi a parte mais desafiadora em interpretar Barbara Kean?

A parte mais desafiadora é não saber completamente onde sua história está indo. Em um filme, você começa a criar a viagem que seu personagem leva, porque você tem toda a imagem, mas com a TV a história está sempre em desenvolvimento e sendo escrita para que você não possa começar de uma forma e terminar da mesma maneira. Ao longo do tempo, é algo que eu tenho melhorado a aceitar e curtir. Agora, em vez de tentar controlar a viagem, eu relaxo e interpreto quem ela é no momento.

Existe algum tipo de treinamento específico que você espera que tenha a chance de trabalhar em frente?

Houve um desenvolvimento interessante nesta temporada, onde Barbara adquiriu habilidades de luta de Aikido, então estou fazendo muito treinamento para isso. Embora o Aikido seja uma arte marcial, trata-se de usar a força de alguém contra eles, o que me parece realmente satisfatório. Isso significa que, como uma lutadora pequena, ainda posso vencer pessoas maiores e mais fortes. Também me ajudam a parar, respirar e me centrar, o que é uma disciplina vitalícia para mim.

Qual tipo de carreira você acha que Barbara escolheria se ela decidisse mudar a vida e se tornar “boa” novamente?

Eu acho que ela seria uma ótima CEO. Ela tem a quantidade certa de psicopatia nela.

Você acha que ela poderia curar das ações que ela fez?

Babs é um pragmatista, então, no fundo, talvez ela não tenha “curado”, ela não vê o ponto em se arrepender. Isso só a impedirá de alcançar seus objetivos.

Qual é a coisa que você aprendeu sobre você mesma este ano?

Minha lição este ano foi que eu sou suficiente. Eu posso ser muito dura comigo mesma na minha vida pessoal e profissional. Eu acho que muitas pessoas têm uma voz negativa por dentro, que muitas vezes é perigosamente sutil, dizendo-lhes que eles não são bons o suficiente. Eu tenho trabalhado para mudar essa voz para ser minha torcida interna. Eu tenho feito o Caminho do Artista (que é um ótimo livro para quem quer ser mais criativo) para promover minha escrita e meditação, e estou fazendo yoga para me conectar à minha alegria interior.

Como o seu curso Educação Sexual & Amor Próprio surgiu e o que te encorajou a ensinar?

Eu sempre acreditei que a educação sexual é uma das coisas mais importantes que podemos ensinar aos jovens porque afeta todas as partes da nossa vida adulta. Combinado com o amor próprio, pode fazer a diferença entre nós quando nos sentimos sozinhos e indignos de nos sentirmos completos e imparáveis. Se você ensinar a uma menina de 12 anos de idade que ela está completamente no controle de seu corpo, que esse corpo está perfeitamente formado e que ela é incondicionalmente amada, então não há limite para o que ela conseguirá. Numa época em que o pornô é o lugar para jovens aprenderem sobre o sexo e o Presidente dos Estados Unidos está “agarrando mulheres pela vagina” e saindo impune, sexo para mulheres jovens e, mais importante homens jovens, nunca foi mais necessário. Chris Chalk (membro do elenco de Gotham) e eu escrevemos o programa de 12 semanas. Ele ensina os jovens enquanto ensino as jovens e esperamos oferecer o programa às escolas no próximo ano.

Se você pudesse dar um conselho para as pessoas hoje, o que você diria?

Saia dos seus telefones. Eu tenho investigado muito ultimamente sobre como os telefones são horríveis para nós, prestando atenção às mídias sociais. Verificamos nossos telefones em média 150 vezes ao dia e passamos pelo menos 11 horas por semana em sites de redes sociais. A razão para isso é que eles estão usando o mesmo modelo viciante de máquinas caça-níquel para nos manter enganchados. É chamado de “Recompensas de variáveis intermitentes”, o que significa que, quando entramos no Facebook ou Instagram, às vezes teremos uma mensagem (nós ganhamos) e às vezes não teremos (perdemos.) Trystan Harris é uma boa pessoa que procura aprender mais sobre isso, mas, basicamente, não deixe seu telefone controlá-lo, use-o para expandir seu mundo.

Qual é o lugar que você gostaria de passar o Ano Novo pelo menos uma vez na sua vida?

Eu tive a sorte de passar o Ano Novo na Islândia, o que foi incrível (eles realmente amam fogos de artifício) e no Japão (não tão interessados em fogos de artifício), mas este ano estou ansiosa para passar na minha terra natal, no País de Gales, no casamento de um amigo.

Você tem outros projetos futuros que você pode compartilhar conosco para que possamos observar o seu lançamento?

Estou trabalhando em muitas das minhas próprias coisas no momento. Eu escrevi e dirigi o meu primeiro curta este ano que está para sair e espero escrever mais e dirigir no próximo ano. Eu também tenho um filme saindo com o John Hurt, uma enorme perda, chamado ‘That Good Night‘.

Você tem organizações de caridade ou organizações que você gostaria de divulgar hoje?

No ano que vem, vou lançar uma empresa de roupas chamada Onesies for Oneness – são macacões muito macios feitos de bambu e costurados em Austin, e os lucros vão para esta incrível caridade no Malawi chamada Tiwale, criado por Ellen Chilemba, que apoia as mulheres que se reúnem para construir empreendimentos sustentáveis e se tornarem empresárias.

Qual é uma coisa que você espera melhorar ou realizar em 2018?

Eu decidi não beber álcool em 2018. É um pequeno experimento que estou fazendo comigo porque estou perfeitamente feliz sem álcool e eu me pergunto como me sentirei depois de um ano sem beber. Eu vou deixar vocês saberem mais sobre isso…

Você pode também conferir as fotos do ensaio em nossa galeria ou clicando nas miniaturas abaixo:

Ensaios Fotográficos > 2018 > Vulkan Magazine.
199.jpg 419.jpg 0248.jpg 438~0.jpg

Artigo: Jaimee Jakobczak – Vulkan Magazine

Tradução e adaptação: Erin Richards Brasil

Comentários
‘‘Na vida real, você não sabe o que vai acontecer com você, então por que seu personagem saberia? É libertador interpretar a emoção que seu personagem está sentindo naquele momento e não saber o que irá acontecer. Eu gosto disso.’’

- Erin Richards.